Preço de TAZOCIN em Fairfield/SP: R$ 130,09

TAZOCIN

WYETH

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Tazocin

Tazocin 2,25 g: cada frasco-ampola de doseúnica contém: piperacilina sódica equivalente a 2 g de piperacilina e tazobactama sódica equivalente a 250 mg de tazobactama. Tazocin 3,375 g: cada frasco-ampola de dose única contém: piperacilina sódica equivalente a 3 g de piperacilina e tazobactama sódica equivalente a 375 mg de tazobactama. Tazocin 4,5 g: cada frasco-ampola de dose única contém: piperacilina sódica equivalente a 4 g de piperacilina e tazobactama sódica equivalente a 500 mg de tazobactama.

Posologia e Administração de Tazocin

Tazocin deve ser administrado por infusão intravenosa lenta num período acima de 20 a 30 minutos. Adultos e jovens com idade superior a 12 anos: a dose usual para adultos e jovens com função renal1 normal é de 4,5 g de Tazocin, administrada a cada oito horas. A dose diária depende da gravidade e localização da infecção2 e pode variar de 2,25 g a 4,5 g de Tazocin, administrada a cada 6, 8 ou 12 horas. Crianças abaixo de 12 anos de idade: até que mais experiências estejam disponíveis, Tazocin não deve ser utilizado em crianças abaixo de 12 anos de idade. Insuficiência renal3: em pacientes com insuficiência renal3, a dose intravenosa deve ser ajustada ao grau de disfunção renal1. Para pacientes4 em hemodiálise5, a dose diária máxima é 8 g/1 g de Tozacin. Além disso, uma vez que a hemodiálise5 remove 30% - 50% de piperacilina em 4 horas, uma dose adicional de 2 g/250 mg de Tazocin deve ser administrada após cada período de diálise6. Para pacientes4 com insuficiência renal3 e hepática7, medidas dos níveis séricos de Tazocin quando disponíveis, poderão fornecer informações adicionais para o ajuste de dose. Duração do tratamento: em infecções8 agudas, o tratamento com Tazocin deve ser por, no mínimo, 5 dias e continuar por mais 48 horas após melhora dos sintomas9 clínicos ou da febre10. Instruções para reconstituição e diluição para uso intravenoso: reconstituir cada frasco-ampola usando um dos diluentes compatíveis para reconstituição: cloreto de sódio 0,9% para injeção11; água estéril para injeção11 (volume máximo recomendado de água estéril para injeção11 por dose é 50 ml); água bacteriostática para injeção11 com álcool benzílico; água bacteriostática para injeção11 com parabenos. Nota: Tazocin não é compatível e não deve ser diluído com Ringer lactato12. A solução reconstituída deve ser retirada do frasco-ampola com seringa13. Quando reconstituído como recomendado, o conteúdo do frasco-ampola retirado com a seringa13 fornecerá a quantidade prevista de piperacilina e tazobactama. A solução reconstituída pode ser diluída novamente para o volume desejado (ex.: de 50 ml a 150 ml) com uma das soluções intravenosas compatíveis listadas abaixo: cloreto de sódio 0,9% para injeção11; água estéril para injeção11 (volume máximo recomendado de água estéril para injeção11 por dose é 50 ml); glicose14 5%; dextran 6% em solução fisiológica15; glicose14 5% e cloreto de sódio 0,9%; ringer lactato12 (reconstituir com cloreto de sódio 0,9% para injeção11. A solução diluída deve ser administrada em duas horas). Incompatibilidades farmacêuticas: Tazocin não deve ser misturado com outras substâncias na mesma seringa13 ou frasco de infusão, uma vez que sua compatibilidade ainda não foi estabelecida. Sempre que Tazocin for utilizado concomitantemente com outro antibiótico, ambos devem ser administrados separadamente. Devido à instabilidade química, Tazocin não deve ser usado em soluções que contenham somente bicarbonato de sódio. Tazocin não deve ser adicionado a sangue16 e derivados ou a hidrolisatos de albumina17. - Superdosagem: não se dispõe de informações de superdosagem em humanos. - Tratamento de intoxicação: nenhum antídoto18 específico é conhecido. Em caso de emergência19, todas as medidas médicas intensivas necessárias estão indicadas. No caso de excitabilidade motora ou convulsões, agentes anticonvulsivantes (ex.: diazepam ou barbitúricos) podem ser indicados. No caso de reações alérgicas graves (anafiláticas), medidas usualmente indicadas devem ser empregadas (anti-histamínicos, corticosteróides, drogas simpatomiméticas e, se necessário, oxigênio e respiração artificial20).

Precauções de Tazocin

embora Tazocin possua características de baixa toxicidade21 do grupo das penicilinas, recomenda-se avaliação periódica das funções orgânicas incluindo renal1, hepática7 e hematopoiética durante tratamento prolongado. Manifestações hemorrágicas22 têm ocorrido em alguns pacientes recebendo antibióticos betalactâmicos. Estas reações têm sido algumas vezes associadas com anormalidades nos testes de coagulação23 como tempo de coagulação23, agregação plaquetária e tempo de protrombina24, sendo que ocorrem mais freqüentemente em pacientes com insuficiência renal3. Se manifestações hemorrágicas22 ocorrerem, o antibiótico deve ser suspenso e tratamento apropriado deve ser instituído. Deve-se considerar a possibilidade de aparecimento de organismos resistentes, que podem causar superinfecções25, principalmente durante tratamento prolongado. Caso isto ocorra, medidas apropriadas devem ser tomadas. Como com outras penicilinas, os pacientes podem apresentar excitabilidade neuromuscular ou convulsões, se doses maiores que as recomendadas forem administradas por via intravenosa. Tazocin (piperacilina sódica, tazobactama sódica) é um sal monossódico de piperacilina e um sal monossódico de tazobactama. O conteúdo de sal em cada frasco-ampola é: 2 g/250 mg frasco-ampola: 4,69 mEq (108,0 mg) de sódio; 3 g/375 mg frasco-ampola: 7,04 mEq (162 mg) de sódio; 4 g/500 mg frasco-ampola: 9,39 mEq (216 mg) de sódio. Isto deve ser considerado quando os pacientes em tratamento necessitarem de restrição de sal. Determinações periódicas dos eletrólitos26 devem ser feitas em pacientes com baixa reserva de potássio, e deve-se considerar a possibilidade de hipocalemia27 em pacientes que tenham reservas de potássio potencialmente baixas e que estejam recebendo terapia citotóxica ou diuréticos28. O uso de antimicrobianos em altas doses por curto período de tempo para tratar gonorréia29 pode mascarar ou atrasar os sintomas9 de incubação30 da sífilis31. Portanto, antes do tratamento, os pacientes com gonorréia29 também devem ser avaliados para sífilis31. Material para exame de campo escuro deve ser obtido de pacientes com qualquer lesão32 primária suspeita, e exames sorológicos devem ser realizados por no mínimo 4 meses. - Testes laboratoriais: avaliação periódica da função hematopoiética deve ser realizada, especialmente com tratamento prolongado, isto é, mais do que 21 dias. - Uso durante a gravidez33 e lactação34: estudos adequados em humanos com uso da Tazocin durante a gravidez33 e no período de lactação34 ainda não estão disponíveis. Até que mais estudos estejam disponíveis, mulheres grávidas ou lactantes35 devem ser tratadas somente se o benefício terapêutico superar o risco à paciente e ao feto36. - Advertências: reações de hipersensibilidade (anafilática) graves e ocasionalmente fatais foram relatadas em pacientes em tratamento com penicilinas. Estas reações são mais comuns em pessoas com história de sensibilidade a múltiplos alérgenos37. Houve relatos de pacientes com história de hipersensibilidade às penicilinas que apresentaram reações graves de hipersensibilidade quando tratados com cefalosporina. Antes de iniciar o tratamento com Tazocin, investigação cuidadosa deve ser realizada com relação a reações de hipersensibilidade prévia a penicilinas, cefalosporinas e outros alérgenos37. Se ocorrer reação alérgica38 durante o tratamento com Tazocin, o antibiótico deve ser suspenso. Reações de hipersensibilidade grave podem requerer epinefrina e outras medidas de emergência19. Em caso de diarréia39 grave e persistente, deve-se levar em consideração a possibilidade de colite40 pseudomembranosa com risco de vida, induzida por antibiótico. Portanto, Tazocin deve ser suspenso imediatamente em tais casos e o tratamento adequado deve ser iniciado (ex.: teicoplanina oral ou vancomicina oral). Preparações que inibem o peristaltismo41 são contra-indicadas. Interações medicamentosas: administração concomitante de probenecida com Tazocin prolonga a meia-vida e diminui o clearance renal1 da piperacilina e da tazobactama. Entretanto, o pico de concentração plasmática não é alterado. Não foi observado interação entre Tazocin e vancomicina. Quando Tazocin é administrado concomitantemente com tobramicina a AUC, o clearance renal1, e a recaptação urinária da tobramicina estão diminuídas em 11%, 32% e 38%, respectivamente. As alterações farmacocinéticas da tobramicina quando administrada com Tazocin podem ser devido à inativação in vivo e in vitro da tobramicina na presença de Tazocin. A inativação de aminoglicosídeos na presença de drogas da classe das penicilinas tem sido reconhecida. Acredita-se que há formação de um complexo penicilina-aminoglicosídeo; estes complexos são microbiologicamente inativos e de toxicidade21 desconhecida. Em pacientes com disfunção renal1 grave (p. ex.: pacientes em hemodiálise5 crônica), os parâmetros farmacocinéticos da tobramicina estão significantemente alterados quando a piperacilina é administrada concomitantementealterações farmacocinéticas da tobramicina quando administrada com. Não se conhece alteração da farmacocinética da tobramicina, e do potencial tóxico do complexo penicilina-aminoglicosídeo em pacientes com disfunção renal1 leve a moderada que receberam aminoglicosídeo associado ao Tazocin. A piperacilina quando utilizada concomitantemente com vecurônio tem sido relacionada com o prolongamento do bloqueio neuromuscular do vecurônio. Tazocin poderá produzir o mesmo fenômeno quando administrado com vecurônio. Considerando a semelhança de seus mecanismos de ação, é esperado que o bloqueio neuromuscular produzido por qualquer relaxante muscular não despolarizante possa ser prolongado na presença de piperacilina. Sempre que Tazocin for utilizado concomitante com outro antibiótico, especialmente com um aminoglicosídeo, as drogas não devem ser misturadas em soluções intravenosas ou administradas concomitantemente devido à incompatibilidade física. Durante a administração concomitante de altas doses de heparina, anticoagulantes42 orais e outras drogas que possam afetar o sistema de coagulação23 sangüínea e/ou função trombocítica, os parâmetros de coagulação23 deverão ser testados mais freqüentemente e monitorados regularmente. - Interação com testes laboratoriais: como com outras penicilinas, a administração de Tazocin pode resultar em reação falso-positiva para a glicose14 na urina43 utilizando o método de redução de cobre. Recomenda-se o uso de testes de glicose14 baseados em reações enzimáticas glicose14-oxidase.

Reações Adversas de Tazocin

pele44: eritema45 e prurido46; o sistema gastrintestinal: diarréia39, náusea47 e vômito48; e reações alérgicas. Reações adversas locais que foram relatadas, sem relação definida com Tazocin flebite49, reações no local da injeção11, dor, inflamação50, tromboflebite51 e edema52. Nos estudos clínicos, 90% dos efeitos adversos relatados foram transitórios e de natureza leve a moderada. Efeitos adversos clínicos: baseado em pacientes de estudos clínicos, os eventos de maior incidência53, sem relação definida com tratamento com Tazocin foram diarréia39; cefaléia54; constipação55; náusea47; insônia; eritema45, inclusive maculopapular56, bolhoso, urticária57 e eczema58; vômito48; dispepsia59; prurido46 alteração na consistência das fezes; febre10; agitação; dor; monilíase; hipertensão60; vertigem61; dor abdominal; dor torácica; edema52; ansiedade; rinite62 e dispnéia63. Outros eventos adversos sistêmicos64 relatados em 1,0% ou menos dos pacientes, estão listados abaixo por sistema: inespecífico: calafrio65, dor nas costas66, mal-estar. Sistema nervoso autônomo67: hipotensão68, íleo paralítico69, síncope70. Cardiovascular: taquicardia71, incluindo supraventricular e ventricular; bradicardia72; arritmia73, incluindo fibrilação atrial, fibrilação ventricular, parada cardíaca, insuficiência cardíaca74, insuficiência75 circulatória, infarto do miocárdio76. Sistema Nervoso Central77: tremor, convulsão78, vertigem61. Gastrintestinal: melena79, flatulência, hemorragia80, gastrite81, soluço, estomatite82 ulcerativa, colite40 induzida por droga. Colite40 pseudomembranosa foi relatada por outro paciente durante os ensaios clínicos83. O início dos sintomas9 da colite40 pseudomembranosa pode ocorrer durante ou após o tratamento antibacteriano. Audição: zumbido. Hipersensibilidade: anafilaxia84. Metabólico e nutricional: hipoglicemia85 sintomática86, sede. Musculoesquelético: mialgia87, artralgia88. Plaquetas89, hemorragia80, coagulação23: embolismo90 mesentérico91, púrpura92, epistaxe93, embolismo90 pulmonar. Psiquiátrico: confusão, alucinação94, depressão. Reprodutor feminino: leucorréia95, vaginite96. Respiratório: faringite97, edema pulmonar98, broncospasmo, tosse. Pele44 e apêndices: prurido46 genital, diaforese. Sentidos especiais: alteração do paladar99. Urinário: retenção, disúria100, oligúria101, hematúria102, incontinência103. Visão104: fotofobia105. Vascular106 (extracardíaco): vermelhidão. Eventos adversos observados em exames laboratoriais: alteração nos parâmetros laboratoriais, sem relação com a droga, incluem: hematológico: diminuição na hemoglobina107 e hematócritos, trombocitopenia108, aumento na contagem plaquetária, eosinofilia109, leucopenia110, neutropenia111. Tanto a leucopenia110 quanto a neutropenia111 associadas com a administração de Tazocin parecem ser reversíveis e mais freqüentemente associadas com a administração prolongada, isto é, por mais de 21 dias de tratamento. Estes pacientes foram retirados do tratamento, e alguns tiveram sintomas9 sistêmicos64 acompanhados (ex.: febre10, tremores, calafrios112). Coagulação23: teste de Coombs direto positivo, tempo de protrombina24 prolongado, tempo de tromboplastina113 parcial prolongado. Hepático: elevações transitórias da AST (TGO), ALT (TGP), fosfatase alcalina114, bilirrubina115. Renal1: aumento na creatinina116 sérica e uréia117 (BUN). Urina43 tipo I: proteinúria118, hematúria102, piúria. Outros eventos laboratoriais incluem anormalidades eletrolíticas (ex.: aumento e diminuição no sódio, potássio e cálcio), hiperglicemia119, diminuição da proteína total ou albumina17. As seguintes reações adversas também foram relatadas para piperacilina sódica estéril: pele44 e apêndices: eritema multiforme120 e síndrome de Stevens-Johnson121 foram raramente relatadas. Gastrintestinal: hepatite122 colestática. Renal1: raramente, nefrite123 intersticial124. Esquelético: relaxamento muscular prolongado.

Contra-Indicações de Tazocin

pacientes com história de reações alérgicas a quaisquer penicilinas e/ou cefalosporinas ou inibidores da betalactamase.

Indicações de Tazocin

tratamento das seguintes infecções8 bacterianas sistêmicas e/ou locais, por microorganismos sensíveis confirmados ou suspeitos: infecções8 do trato respiratório inferior; infecções8 do trato urinário125 (complicada ou não complicada); infecções8 intra-abdominais; infecções8 da pele44 e suas estruturas; septicemia126 bacteriana; infecções8 ginecológicas; infecções8 bacterianas em pacientes neutropênicos: Tazocin associado a aminoglicosídeo está indicado nas infecções8 bacterianas em pacientes neutropênicos; infecções8 osteoarticulares; infecções8 polimicrobianas: Tazocin está indicado nas infecções8 polimicrobianas incluindo aquelas onde os organismos aeróbicos e anaeróbicos são suspeitos (pele44 e suas estruturas, intra-abdominal, trato respiratório superior e inferior, ginecológico). Enquanto Tazocin está indicado somente para as condições listadas acima, as infecções8 causadas por organismos sensíveis à piperacilina também são sensíveis ao tratamento com Tazocin devido à presença de piperacilina. Portanto, o tratamento de infecções8 mistas causadas por organismos sensíveis à piperacilina e organismos produtores de betalactamase sensíveis à Tazocin não necessitam da adição de outro antibiótico. Testes apropriados de cultura e sensibilidade devem ser realizados antes do tratamento para identificar os organismos causadores das infecções8 e para determinar sua sensibilidade ao. Devido a seu amplo espectro de ação contra organismos Gram-negativos e Gram-positivos anaeróbicos e aeróbicos, como mencionado acima, Tazocin é particularmente útil no tratamento de infecções8 mistas e no tratamento presuntivo antes da disponibilidade dos resultados dos testes de sensibilidade. O tratamento com Tazocin pode, contudo, ser iniciado antes dos resultados dos testes serem conhecidos. Modificação no tratamento pode ser necessário após conhecimento destes resultados, ou se não houver resposta clínica. Tratamento presuntivo de infecções8 graves com Tazocin pode ser iniciado antes que os resultados dos testes de sensibilidade estejam disponíveis. Tazocin atua sinergicamente com aminoglicosídeos contra certas cepas127 de Pseudomonas aeruginosa. Esta terapia combinada128 tem tido sucesso, especialmente em pacientes com comprometimento imunológico. Ambas as drogas devem ser utilizadas em doses terapêuticas completas. Assim que os resultados de cultura e testes de sensibilidade estejam disponíveis, a terapia antimicrobiana deve ser ajustada. No tratamento de pacientes neutropênicos, doses terapêuticas completas de Tazocin e um aminoglicosídeo devem ser utilizadas. Deve-se levar em conta a possibilidade de hipocalemia27 em pacientes com baixa reserva de potássio, e periódicas determinações eletrolíticas devem ser feitas nestes pacientes.

Apresentação de Tazocin

cartucho com 1 frasco-ampola ou com 10 frascos-ampola.


Ver informações do laboratório

TAZOCIN - Laboratório

WYETH
Rua Alexandre Dumas, 2200
São Paulo/SP - CEP: 04717-004
Tel: 55 (011) 5180-0040
Fax: 55 (011)5181-9013

Ver outros medicamentos do laboratório "WYETH"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
6 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
7 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
8 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
11 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
12 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
13 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
14 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
15 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
17 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
18 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
19 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
20 Respiração artificial: Tipo de apoio à função respiratória que utiliza um instrumento eletromecânico (respirador artificial), capaz de insuflar de forma cíclica volumes pré-determinados de ar com alta concentração de oxigênio através dos brônquios.
21 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
22 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
23 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
24 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
25 Superinfecções: Geralmente ocorrem quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. As superinfecções podem ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-las.
26 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
27 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
28 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
29 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
30 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
31 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
32 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
33 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
34 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
35 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
36 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
37 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
38 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
39 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
40 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
41 Peristaltismo: Conjunto das contrações musculares dos órgãos ocos, provocando o avanço de seu conteúdo; movimento peristáltico, peristalse.
42 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
43 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
44 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
45 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
46 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
47 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
48 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
49 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
50 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
51 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
52 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
53 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
54 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
55 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
56 Maculopapular: Erupção cutânea que se caracteriza pelo aparecimento de manchas e de pápulas de tonalidade avermelhada, geralmente observada no sarampo ou na rubéola.
57 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
58 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
59 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
60 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
61 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
62 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
63 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
64 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
65 Calafrio: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
66 Costas:
67 Sistema nervoso autônomo: Parte do sistema nervoso que controla funções como respiração, circulação do sangue, controle de temperatura e da digestão.
68 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
69 Íleo paralítico: O íleo adinâmico, também denominado íleo paralítico, reflexo, por inibição ou pós-operatório, é definido como uma atonia reflexa gastrintestinal, onde o conteúdo não é propelido através do lúmen, devido à parada da atividade peristáltica, sem uma causa mecânica. É distúrbio comum do pós-operatório podendo-se afirmar que ocorre após toda cirurgia abdominal, como resposta “fisiológica“ à intervenção, variando somente sua intensidade, afetando todo o aparelho digestivo ou parte dele.
70 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
71 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
72 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
73 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
74 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
75 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
76 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
77 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
78 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
79 Melena: Eliminação de fezes de coloração negra, alcatroada. Relaciona-se com a presença de sangue proveniente da porção superior do tubo digestivo (esôfago, estômago e duodeno). Necessita de uma avaliação urgente, pois representa um quadro grave.
80 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
81 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
82 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
83 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
84 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
85 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
86 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
87 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
88 Artralgia: Dor em uma articulação.
89 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
90 Embolismo: É o mesmo que embolia, mas é um termo menos usado. Significa obstrução de um vaso, frequentemente uma artéria, pela migração de um corpo estranho (chamado de êmbolo) levado pela corrente sanguínea.
91 Mesentérico: Relativo ao mesentério, ou seja, na anatomia geral o mesentério é uma dobra do peritônio que une o intestino delgado à parede posterior do abdome.
92 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
93 Epistaxe: Hemorragia de origem nasal.
94 Alucinação: Perturbação mental que se caracteriza pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensação sem objeto. Impressão ou noção falsa, sem fundamento na realidade; devaneio, delírio, engano, ilusão.
95 Leucorréia: Corrimento branco eliminado pela vagina ou uretra. Pode ser manifestação de uma doença ginecológica ou das vias urinárias.
96 Vaginite: Inflamação da mucosa que recobre a vagina. Em geral é devido a uma infecção bacteriana ou micótica. Manifesta-se por ardor, dor espontânea ou durante o coito (dispareunia) e secreção mucosa ou purulenta pela mesma.
97 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
98 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
99 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
100 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
101 Oligúria: Clinicamente, a oligúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas ou menor de 30 ml/hora.
102 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
103 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
104 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
105 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
106 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
107 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
108 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
109 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
110 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
111 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
112 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
113 Tromboplastina: Conhecida como fator tissular ou Fator III, a tromboplastina é uma substância presente nos tecidos e no interior das plaquetas. Ela tem a função de transformar a protrombina em trombina na presença de íons cálcio, atuando de maneira importante no processo de coagulação.
114 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
115 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
116 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
117 Uréia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
118 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
119 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
120 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
121 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
122 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
123 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
124 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
125 Trato Urinário:
126 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
127 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
128 Terapia combinada: Uso de medicações diferentes ao mesmo tempo (agentes hipoglicemiantes orais ou um agente hipoglicemiante oral e insulina, por exemplo) para administrar os níveis de glicose sangüínea em pessoas com diabetes tipo 2.

Tem alguma dúvida sobre TAZOCIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.